Comprando Vinhos em Supermercados

Os vinhos nos supermercados

Em viagem pela Europa não há como não ficarmos admirados pela variedade de vinhos que podemos encontrar nos supermercados, que possuem sessões enormes e a preços convidativos.

Há alguns anos atrás, no Brasil, era difícil encontrar em supermercados vinhos que não fossem de entrada das grandes vinícolas, os afamados “reservados”, por exemplo, além dos vinhos nacionais do tipo suaves, feitos com uvas americanas, não viníferas.

Nos dias atuais, no entanto, os supermercados brasileiros se sofisticaram e passaram a investir em áreas separadas para vinho e em alguns casos, em adegas climatizadas e funcionários qualificados para orientar o cliente na escolha do produto.

 Adega climatizada em um  supermercado de Brasília


Adega climatizada em um supermercado de Brasília

Hoje é possível encontrar bons rótulos em supermercados até mesmo em cidade do interior do Brasil.

Aqui perto de casa, só para ilustrar, há um supermercado que possui uma adega climatizada em um piso inferior, onde pode-se comprar, além do básico, vinhos de boa qualidade caros e sofisticados como champagnes francesas, rótulos como Sassicaia, Don Melchor ou Barca Velha, só para ficar em alguns poucos exemplos.

 

Qualidade x  preço

Alguns sommelliers aconselham a evitar comprar vinhos em supermercado, pois argumentam que esses não possuem um bom sistema de armazenamento, o que pode comprometer a qualidade dos vinhos.

Isto até pode ser verdade, mas nem sempre comprar em adegas especializadas garante a qualidade, pois embora haja adegas onde o cuidado com o manuseio e a guarda do vinho são bem feitos, isto nem sempre é a regra geral.

Com efeito, já comprei vinho oxidado tanto de supermercado como de adegas conceituadas aqui em Brasília.

Assim, o supermercado não pode ser descartado como canal de compra de vinhos, principalmente para o consumo diário.

Além disso, os supermercados compram os rótulos populares em grandes quantidade e podem praticar bons preços, valendo a pena comprar vinhos nesses casos.

Deve-se ter cuidados com vinhos mais caros, pois os supermercados  tem uma política de preços bastante aleatória, o que pode nos levar a comprar vinhos medianos a preços de vinhos caros.

Para este tipo de vinho é melhor comprar em adegas especializadas, ou pela internet diretos com os distribuidores ou nos clubes de vinhos existentes.

Ou seja, vale a pena pesquisar por informação para ver se aquele vinho que estamos levando por um preço elevado se trata mesmo de um vinho superior.

Reservado, Reserva ou Gran Reserva: O Que Significam Estes Termos?

É muito comum encontrarmos estes termos nos rótulos do vinhos, principalmente nos vinhos da Espanha e América do Sul, embora outros países têm adotado cada vez mais estes termos.

Aparentemente, eles parecem conferir um selo de qualidade ao vinho, que seriam dessa forma de qualidade superior.

Alguns anos atrás, um vinho que vinha com o termo Gran Reserva no rótulo dificilmente custava menos de R$ 100,00 aqui no Brasil. No entanto, hoje é comum encontrarmos vinhos de menos de R$ 40,00 ostentando esses termos no rótulo.

A pergunta que se faz é se eles realmente significam alguma coisa a mais em qualidade ou se são somente estratégia de marketing.

Barris de Carvalho

Vinho envelhecendo em barris de carvalho em uma vinícola, na Espanha.

Na verdade, estes termos são de origem espanhola, onde eles são definidos por legislação e tem que cumprir certos requisitos para poderem colocar estes termos nos rótulos dos vinhos.

Para os vinhos espanhóis, temos o que se segue.

Crianza: vinhos que ostentam a palavra crianza, que quer dizer berçário em espanhol, passaram pelos menos 6 mese em barris de carvalho e mais 2 anos na garrafa antes de distribuídos para serem comercializados.

Reserva: indica que o vinho passou pelo menos 12 meses em barris de carvalho e que ficou mais 2 anos armazenado em garrafa antes de comercializado.

Gran Reserva: para ostentar este termo no rótulo, um vinho espanhol tem que ter passado pelo menos 3 anos em barris de carvalho e mais 2 em garrafa.

Nos vinhos da América do Sul, estes termos são meio vagos, pois como não existem uma legislação específicas sobre este assunto, estes procedimentos não são padronizados e variam de produtor para produtor.

Como regra geral, normalmente reserva significa que o vinho passou por um tempo em barris de carvalho e o gran reserva mais tempo ainda. Mas o tempo aqui depende de cada produtor.

Tem que se observar ainda que o fato do vinho passar por barril de carvalho não significa necessariamente que se trata de um vinho superior. Na verdade, o uso exagerado do carvalho pode produzir vinhos desequilibrados e enjoativos, quando outras características são negligenciadas.

Em tempo, o termo Reservado, comum nos rótulos de vinhos mais simples da América do Sul não significam nada de especial em termos de qualidade, sendo apenas usado como estratégia de marketing.

Onde Comprar Vinhos em Paris

Paris é  uma das cidades mais lindas da Europa e para os amantes do vinho é um paraíso. A cidade é cheia de restaurantes e bistrôs que servem bons vinhos a bons preços e com razoável variedade, inclusive com opções em taças, o que é ótimo quando não se quer beber muito ou sua companheira ou companheiro não bebe .

Levando vinho para casa

No entanto, você provavelmente irá querer levar alguns bons vinhos na mala de volta para o Brasil e aí vale a pena saber onde compra-los a bons preços.

Com relação à preços, não espere encontrar vinhos Grands Crus da Borgonha ou Bordeaux de primeira linha a preços de pechincha, pois estes vinhos são disputados no mundo inteiro. Na verdade, não se surpreenda se encontrar um Petrus a um preço superior a do Brasil em Paris.

Mas se o objetivo for comprar bons vinhos, pode-se encontrar preços que podem chegar a um terço do praticado no Brasil e até menos do que isto se garimpar as diversas  promoções ofertadas pelas adegas e supermercados.

As melhores adegas

Lavinia

Loja de vinhos Lavinia, na rue Madeleine

Loja de vinhos Lavinia, na rue Madeleine

Estando em Paris, não deixe de ir na Lavinia. Trata-se de uma das maiores redes da Europa de vinhos, com filiais na Espanha, Suissa e Ucrânia. Em Paris, tem dois endereços, mas o melhor é que fica na rua Madeleine. Neste endereço mantêm um estoque com milhares de  rótulos espalhado em três pisos.

O estoque é dividido por regiões da França, com grande variedade de Bordeuxs e Borgonhas, mas é possível encontrar rótulos de outros países, inclusive da América do Sul.

No piso de baixo há um departamento de acesso controlado, somente com rótulos top de bordeaux, borgonhas e outras regiões da França, além de rótulos de fora da França.

Neste endereço tem também um amplo, bonito e bem concorrido restaurante, onde se pode pedir diversas sugestões de pratos harmonizados com diverso vinhos em taças. Há combinações com bons bordeux, alguns segundos vinhos de grandes chateux e outras regiões. Excelente oportunidade de desfrutar de uma harmonização feita por quem entende.

Endereço: 3 boulevard de la Madeleine, 75001 PARIS Tel : 0033 (0)1 42 97 20 20 Métro : ① Concorde / ③Havre-Caumartin / ⑧⑫⑭Madeleine  site: www.lavinia.fr

Lucien Legrand Filles & Fils

Esta é uma loja relativamente pequena, mas charmosa e que possui um bom acervo. Eles também comercializam vin en premeurs, uma forma de contar grands crus a preços mais camaradas. O problema é esperar cerca de dois anos para a entrega.

Adega Lucien Legrand Filles & Fils, Galeries Vivienne

Adega Lucien Legrand Filles & Fils, Galeries Vivienne

A adega fica em uma das galerias mais charmosas e cult de Paris, as Galerias Viviane, freqüentada por gente descolada que curte arte e antigüidades.  Neste endereço funciona também um dos bistrôs  mais recomendados de Paris, dos mesmos proprietários.

Endereço: 1, rue de la Banque 75002 Paris Tél : +33 1 42 60 07 12 site: www.caves-legrand.com/fr/

 

Nicolas

Esta é uma rede realmente muito grande, com cerca de 470 lojas espalhadas pela França. Tem muitas lojas em Paris e são em sua maioria lojas de pequeno e médio porte, mas com bom estoque de rótulos de todas as regiões da França. Sempre há boas ofertas.

Recentemente abriram uma loja grande na Place de la Madeleine com uma proposta parecida com a da Lavinia. Não tive a oportunidade de conferir ainda.

Endereço: há muitos endereços em Paris, mas a loja recém inaugurada na Madeleine é 31 Place de la Madeleine 75008 Paris site: www.nicolas.com

Galeries Lafayette

As Galerias Lafayette são um dos templos de consumo mais famosos da Europa, imperdível para quem quer fazer compras em Paris e encontrar grandes marcas da moda. Para os apreciadores de vinhos, há a La Bibliotheque des Vins, com um grande estoque de todas as regiões da França.

Bordeauxtheque, Galeries Lafayette

Bordeauxtheque, Galeries Lafayette

La dentro, funciona também a Bordeauxtheque, um espaço só de bordeux grands crus, com mais de 1500 rótulos. Você vai encontrar safras de bordeaux anteriores  à década de 40 do século XX, a preços que podem chegar a custar mais de 60 mil euros. O lugar é todo envidraçado, fazendo um contraste com as garrafas. Simplesmente deslumbrante! Há também um bar a vin para degustações harmonizadas. Não conferi o bar, pois nos dias em que estive lá estava sempre cheio.

Endereço: Galeries Lafayette, 48, Boulevard Haussmann 75009 Paris  site: haussmann.galerieslafayette.com

Comprando vinhos em supermercado

Em Paris, como não poderia ser diferente, os supermercados possuem amplas e organizadas sessões de vinhos. Não estive no Carrefour deles, mas conheci algumas lojas do Monoprix, uma rede de supermercado que possui lojas espalhadas em toda Paris. A muitas ofertas, com bons rótulos com preços inferiores a 10 euros.

No aeroporto Charles de Gaulle

 Se não teve tempo de comprar vinhos em Paris, há também uma boa loja no Aeroporto. A loja se chama Oenotheque e possui boa variedade de vinhos de toda a região da França.

Adega Oenotheque, aeroporto Charles de Gaulle

Adega Oenotheque, aeroporto Charles de Gaul