Pequena História do Vinho I – Mundo Antigo

O vinho acompanha a humanidade há mais de 70 séculos. Registro dele são encontrados no Gilgamesh, coletânea de poemas e lendas sumérias, na Bíblia e no Talmude, livro sagrado dos judeus. No entanto, o vinho que nossos antepassados bebiam era bastante diferentes do que nós apreciamos hoje, pois este é resultado de um aprimoramento histórico que durou milênios.

O vinho é resultado de processamento e a  fermentação do suco da uva, mas ao longo do tempo ele foi feito de outros frutas também, como grãos, arroz e até mesmo de flores. Mas hoje, o que costumamos  chamar de vinho é apenas o  feito de uvas viníferas.

A história do vinho

Egito e Grécia

Dionysus, Greek God of wine

Dionísio, deus grego do vinho

Os historiadores não sabem  uma data e local precisos para o aparecimento do vinho, mas sabe-se quase com certeza que ele foi consumido pela primeira vez no Oriente Médio, por volta do ano 5.000 a 6.000 a.C., na Persia, atual Irã. As  vinhas mais antigas do mundo cultivadas foram encontradas à noroeste do Irã, atual República da Georgia.

Provavelmente este vinhos eram feitos de tâmara ou outras frutas arbóreas. Somente mais tarde é que passaram a ser feitos de uvas viníferas - vitis vinifera ou uvas européias. Também era comum o vinho feito de uvas não viníferas - vitus viparial ou uvas comuns.

Os primeiros vinhos com uvas viníferas apareceram por volta de 3.000 a.C.  no  Egito e na Fenícia. O vinho desempenhou importante papel na cultura egípcia, como atestam os achados arqueológicos. Há registros da forma como os egípcios faziam a colheita, a produção e o transporte do vinho em pinturas em tumbas antigas.

O vinho era também cultivado na na China Antiga, já por volta de  2.000 a.C. e era feito de  arroz ou uvas.

Por volta de 2.000 a.C. o vinho surge na Grécia antiga e passa a desempenhar importante papel cultura grega, o que pode ser comprovado no culto ao deus Dionísio, o deus grego do Vinho. O culto do deus Dionísio era chamado o simposium e era uma festa muito concorrida, onde os gregos bebiam em honra ao deus para afastar as preocupações.

Em torno de 1.000 a.C. começa  a expansão da cultura grega pelo mundo antigo e com ela espalha-se também a cultura do vinho em direção à Itália, ao sul da França e na Península Ibérica.

O vinho que era tomado nesta época era bem diferente do vinho atual, quase com certeza  feito  com uvas passas secas e era um  liquido pesado, doce, quase um xarope e  engarrafado em ânforas.

Fontes: Henderson & Dellie, Sobre Vinhos, Cengage, 2012.; Vinhos do Mundo Todo, Zahar Ed., 2006; Revista Adega, edição 100, editora Inner.